Governo estuda pagar mais R$ 600 em três parcelas do auxílio emergencial

O governo estuda ampliar o benefício com um valor menor por mês até encontrar uma fonte de recursos para o aumento de gastos permanente

Imagem: Reprodução | Arquivo do Site

Imagem: Reprodução | Arquivo do Site

Para ganhar tempo até o desenho de uma nova política para os programas sociais do governo, uma das opções do ministro da Economia Paulo Guedes, é dar mais uma parcela do auxílio emergencial de R$ 600, mas com o valor dividido ao longo de três meses.

Siga-nos no Instagram @reporterpedrojunior

Essa é uma das opções que estão na mesa de negociação da equipe econômica. Pelo cronograma atual, são previstas três parcelas do auxílio emergencial. Agora, o governo estuda ampliar o benefício, desde que o pagamento por mês seja menor.

+ CONTEÚDO

Seria um modelo de transição até que possam ser reformulados os programas sociais e encontrada fonte de recursos para bancar o aumento de gastos permanentes. Uma negociação que terá de ser feita com o Congresso para não estourar o teto de gastos (mecanismo que proíbe o aumento das despesas acima da inflação) a partir do ano que vem, quando não haverá mais o orçamento de guerra (que livrou o governo de cumprir algumas das amarras fiscais para ampliar os gastos no combate à pandemia).

Leia a reportagem completa no Exame.